[ #MFFF2016 ] My French Film Festival: Curtas Metragens - Parte 2

sábado, janeiro 30, 2016


Bonjour, mon cher! Bon après-midi!

Como prometido hoje de manhã, aqui está segunda parte do post sobre os curtas metragens em exibição e em competição no My French Film Festival 2016. Para saber mais CONFIRA AQUI, sobre o festival e a primeira parte deste post. 

Nesta segunda parte discorrerei um pouco sobre três curtas metragens que compõem o eixo "Lost Generation". Esse eixo, está voltado para conflitos da juventude contemporânea, seja o seu sentimento de deslocamento, seja seus dramas amorosos ou seus dramas familiares.

"Errance" (O Andarilho) de Peter Dourountzis
Sinopse: Djé vai passar o fim de semana em Paris, mas ninguém o espera. Desconhecido entre as sombras, percorre as ruas a esmo para esquecer seu tédio. Camaleão e excêntrico, vai à luta ou se socializa, se alcooliza ou vai à deriva.

Comentário: Quando terminei de assistir o curta, eu não sabia muito o que pensar sobre ele, porém agora depois de um tempinho, percebo que um dos seus temas centrais, é o sentimento de deslocamento do jovem. Um jovem que assusta por não ter perspectivas. Desta forma, tenho absoluta certeza que você não sairá incólume deste lindo conto. 
O filme é muito bem escrito e roteirizado. Tem um personagem que parece não ter um problema especifico, mas que acaba representando algo dentro da sociedade. Ele busca se enturmar, mas não há quem o queira, seja por seu aspecto, seja pela sua abordagem. É um personagem a se pensar.
É um bom filme, cheio de detalhes, andanças e envolvente. Com um final melancólico.



Toutes des connes ( A vida é uma merda) de François Jaros

Sinopse: Um duelo de amor. Choque. Negação. Insônia. Espuma. Tédio. Masturbação. Pop-tart. Pombas. Pasta de dentes. Hospital. Sexo. Adeus. Cabelos. Esportes. Frango. Boceta. Crianças. Rejeição. Esquilos. Prantos. Malestar. 95 cenas. 5 minutos. A vida é uma merda.


Comentário: Um filme sutil. É um filme que não quer ser pretencioso ou megalomaniaco, porém acaba sendo bem irreverente. 
São cenas em 5 minutos que mostra um pouco sobre a juventude e suas desilusões, com todo o foco na vida sentimental. O fim e os inícios de um relacionamento. 
Dos três contos qui comentados, foi o que mais me identifiquei e me divertiu. 
O final define o titulo, pois é ao final que concluímos ali depois de tudo aquilo que a vida é uma merda. Vale muito a pena! 



"Essaie de mourir jeune" (Tente Morrer Jovem) de Morgan Simon

Sinopse: Uma noite de aniversário, Vicent e Hervé vagam pela escuridão da noite à procura de algo para fazer. Você só cumpre 25 anos uma vez.

Comentário: O filme tratará sobre amadurecimento e relação de pai e filho de uma forma intensa e peculiar. O filme é um tanto irregular e falha um tanto em seu roteiro. Mas, tem excelentes atuações. O seu final é interessante, porque a pergunta que faço é: quem de fato precisa amadurecer ali?.
Me lembrou uma passagem do livro que estou lendo agora, que um dos seus capítulos se chama "O menino é o pai do homem". Assista e deixe aqui seus comentários. Ainda não conseguir obter uma opinião precisa sobre tudo deste filme. 


**********************************
O que me dizem caros leitores?

Já conferiu algum desses curtas? Ainda não, Aconselho a você, acessar qualquer um dos links deste post, fazer seu cadastro e apreciar esse festival até o dia 18 de fevereiro de 2016. Aproveite o carnaval que está chegando.

Amanhã (01/02), as 18hs você poderão conferir a terceira e última parte dos posts sobre os curtas metragens. Nele eu comentarei sobre os quatro curta metragem do eixo "Women's Tales". Não perca! Divulguem e fiquem atentos na nossa página do facebook, para as minhas primeiras impressões sobre os curtas.


Confira a PARTE 1 e PARTE FINAL
Até mais!

Por Jônatas Amaral

You Might Also Like

0 comentários

DIA DO ESTUDANTE AMAZON