Ganhei! Comprei! Fui Presenteado! #4


Desde o dia 10 de janeiro de 1995,
O dia em que vim ao mundo, o mês de Janeiro tornou-se especial.
Por ser o primeiro mês do ano, por ser meu aniversário, o aniversário dos meus pais. O mês de Janeiro é um mês de renovação para mim em todas as áreas. Eu sempre penso: "Estou começando uma nova etapa".
Geralmente, em Janeiro a música e as páginas são bastante presentes.
A Música se fez presente, mas a literatura brilhou durante todo esse mês.
Afinal, Mês de aniversário não é?

Let's Go!

"A Seleção" de Kiera Cass
GANHEI!

Este livro é bastante comentado e muito querido hoje em dia por milhares de leitores. E graças aos Blogs Estante Vertical e Perdido em Palavras, vou poder ter a oportunidade de conhecer a história de America Singer, uma das trinta e cinco garotas que disputam uma coroa.
Um distopia muito interessante. Uma escritora super carismática. Um livro muito bem produzido, com uma capa linda.
Ganhei o livro em uma promoção dos "2 anos do Estante Vertical", logo, mas uma vez obrigado aos blogs.
Muito sucesso!!!



Marcadores
GANHEI!



Há alguns meses comecei a minha coleção de marcadores de textos, ainda pequena. Porém, graças ao blog Only The Strong Survive, a minha coleção ganhou novos integrantes. Lindos Integrantes. Integrantes muito firmes. Ganhei em uma promoção no blog e fico muito feliz. É um blog que gosto muito. Muito obrigado a Verônica. Em breve, eu faço um post especial falando exclusivamente sobre esta minha coleção.

"A Outra Vida" de Susanne Winnacker
GANHEI!


Ainda na promoção "2 anos do Estante Vertical", ganhei o livro "A Outra Vida", que já havia almejando a um certo tempo, pela curiosidade. É uma temática que nunca li, mas estou curioso para me aventurar por ela.
Agradeço a Ananda do Blog Entrelinhas Verticais. Obrigado pela total atenção.
Gostei muito.

O Livro veio acompanhado de marcadores muito legais, inclusive este personalizado do livro.

"Senhora" e "Iracema" de José de Alenca
"A Moreninha" de Joaquim Manoel de Macedo.
FUI PRESENTEADO!

A noite do meu aniversário foi divertida. Uma festinha improvisada, mas a vantagem de se ter uma família amante da leitura e todos conhecerem essa minha grande paixão, e sabem que livros sempre serão grandes presentes.
Estes três livros foram presentes da minha tia, Professora de Língua Portuguesa.
Sabendo da minha apreciação da literatura brasileira, me presentou como forma também de incentivo segundo ela.
Afinal, também estou cursando a faculdade Letras- Língua Portuguesa.
Os livros da editora Ciranda Cultural, são bem feitos e em breve lerei todos!

"A Culpa é das estrelas" de John Green
FUI PRESENTEADO!


SIM! Este era um dos livros mais esperado por mim. Minha querida mãe me presenteou com esta preciosidade. 
Muitos já leram. Milhões de pessoa o amam. Muitos comentam. Vem uma adaptação cinematográfica por aí. E verdadeiramente, tudo isso me deixa ansioso por esta obra. Será A primeira obra de John Green que lerei e estou muito feliz de poder ter essa oportunidade, principalmente pelo fato de todos dizerem ser esta uma das melhores obras do escritor.
Okay!
Muito Feliz!

19 anos! 
Centenas de histórias para contar.
Milhares de páginas lidas e apreciadas.
Dezenas de mundos visitados.
19 anos trilhando o caminho estreito e abençoado.
Este é um breve resumo de minha vida até aqui.

Até mais!

Por Jônatas Amaral

[RESENHA] "O Jogo do Anjo" de Carlos Ruiz Zafón.


"-Tudo é um conto, Martín. O que cremos, o que conhecemos, o que recordamos e até o que sonhamos. Tudo é um conto, uma narração, uma sequência de acontecimentos e personagens que comunicam um conteúdo emocional. Um ato de fé um ato de aceitação de uma história que nos foi contada. Só aceitamos como verdadeiro aquilo que pode ser narrado." (Pag.117)

Há livros que não chegam às mãos de um leitor por acaso. Estes livros acabam tornando-se marcantes e inesquecíveis por alguma razão.

Carlos Ruiz Záfon apareceu pela primeira vez na minha frente, vindo pelas mãos de um jovem carteiro. Mas, verdadeiramente só o conheci quando ele veio acompanhado de uma jovem moça, trazendo um livro chamado “O Jogo do Anjo”.


Neste livro encontramos David Martín. Um jovem escritor que sofreu bastante na sua infância pobre, em Barcelona. Quando seu pai foi assassinado, o jovem já tinha os livros como grandes amigos e a escrita como aliada. David, então, começa a trabalhar, no jornal “La Voz de La indústria”, onde por incentivo de Vidal começa a se torna um escritor ‘profissional’.

Porém, a pequena fama dura pouco. David entra em parceria com uma editora para escrever livros sob um pseudônimo, que faz muito sucesso. Mas, o desejo de ser reconhecido sempre vai existir. Com o tempo ele cai em desgraça, e então recebe uma proposta irrecusável.

Um editor Francês, chamado Andreas Corelli, lhe encomenda um livro capaz de impactar o rumo da história. Um livro que fosse capaz de levar as pessoas a matarem e morrerem por aquelas palavras.

Estaria em jogo sua saúde e uma fortuna em dinheiro. E possivelmente, muito mais do que isso...

“O Jogo do Anjo” nos apresenta um suspense impressionante. Da primeira a última página ele nos deixa em estado de alerta. Sabemos que algo novo pode acontecer. Pode ser descoberta. Uma nova carta pode chegar. Um novo alguém pode aparecer vivo ou morto.

O livro é dividido em 3 atos, cada um possui um certo ritmo diferente:

No primeiro ato conhecemos quem é David Martín. Sua história; Seus amigos Pedro Vidal e o ilustre e amável Sr. Sempére (um personagem impossível de não gostar). Assim também conhecemos o inicio do romance entre David e Cristina, e o inicio da carreira de escritor.


Neste o autor nos mostra qual será o espírito da coisa. Mostra que a vida de Martín não será fácil. Muitas coisas acontecem com ele, chega dá pena do cidadão! O suspense começa a ganhar corpo em um mistério.

No 2º ato nos deparamos com um novo David. Ele deixou um pouco a ingenuidade de lado (afinal, a vida nos ensina) e tornou-se um homem cínico e irônico (características muito interessantes). É impressionante cada uma de suas falas, suas sacadas, suas críticas. É um personagem que evolui neste ato, tornando-se cada vez mais incrível.

Aqui de fato conhecemos Andreas Corelli, que foi apenas citado no primeiro ato em uma situação muito estranha. Corelli faz sua proposta. Vemos a vida complicada e esquisita de Martín em uma velha Mansão.



Além de que, conhecemos Isabella, uma personagem jovem, de 17 anos aspirante a escritora e que se torna, por insistência dela, assistente de Martín. Disputando o posto de personagem favorito e mais sarcástico. As conversas dela com Martín são vidrar.

"À medida que envelhece, a maioria das pessoas continua acreditando em bobagens, em geral cada vez maiores. Eu nado contra a corrente, pois gosto de provocar as pessoas." (pag.186) 
O segundo ato é o maior e, sim, ele é o responsável por dar a tensão extrema, as vezes parece que nada de mais irá acontecer, os diálogos tornam-se mais frequentes. O estado psicológico de Martin nos deixa um tanto confusos, mas de repente, prendemos a respiração e só conseguimos solta no próximo parágrafo, ou frase, ou página. De tanta surpresa a qual nos deparamos.


O terceiro ato é extremamente ágil, medonho, o suspense chega ao seu ápice. É recheado de momentos violentos, cruéis, macabros. Muitas lágrimas rolam por essas páginas.

Neste ato, de fato, o livro me conquistou por completo. Pois o autor simplesmente nos deixa em um estado de medo, mas de curiosidade tamanha pelo o que ele escreveu. Houve um momento que simplesmente eu disse: “Espera, eu não acredito. Deixa eu reler.”

É um livro que te prende, querendo ou não, pelo menos eu sentir isso. Você quer continuar, quer saber. Por vezes, se pensa que o livro “O Jogo do Anjo” poderia ser aquele livro que Corelli queria.

Záfon torna Barcelona um lugar incrível, interessante, melancólico, porém satisfatório. Apesar de estarmos nos anos 20 e termos as limitações tecnológicas da época essa história poderia muito bem estar sendo vivida em pleno século 21.

"O Jogo do Anjo", de Carlos Ruiz Zafón. Tradução de Eliana Aguiar.
Editora Suma de Letras - Objetiva, Rio de Janeiro, 2008

Outro ponto muito interessante sobre este livro, é tratar o ramo das publicações literárias. A dificuldade de um autor para escrever e publicar um livro. A ânsia de ser reconhecido. Eu aprendi muito com cada personagem escritor nessa trama.

"Não deve aprender a encontrar desculpas para não escrever antes de aprender a escrever. Isso é um privilégio de profissionais que terá que conquistar" (pag. 216)

“O Jogo do Anjo” me apresentou ao mundo da escrita de Zafón, a qual eu não quero largar tão cedo. Indico e convido a conhecerem, se aprofundarem na obra de Carlos Ruiz Zafón. E “O Jogo do anjo” é um excelente ponto de partida.

"Cada livro, cada tomo que está vendo aqui, tem alma. A alma de quem o escreveu e a alma daqueles que o leram e viveram e sonharam com ele. Cada vez que um livro troca de mãos, cada vez que alguém desliza os olhos por suas páginas, seu espírito cresce e se fortalece" (Carlos Ruiz Záfon)


P.S. Agradeço a Beatriz Góes por ser a menina que trouxe este livro até minhas mãos e pela confiança. =D

Por Jônatas Amaral

[RESENHA] “Theodore Boone – Aprendiz de Advogado” de John Grisham



Realizar o crime perfeito seria possível?

Parece que sim.

Um julgamento causa alvoroço na cidade de Strattenburg, pois não é qualquer julgamento, mas sim o maior julgamento da história desta cidade. E o que tudo leva a crer, é que o réu, Sr. Pete Duffy, acusado de ter matado a própria esposa, sairá inocentado. Pois só há provas circunstanciais, e nada direto. Apenas especulações.

O julgamento para população e para os empregados da lei, é um prato cheio, mas Theodore Boone, se verá mais envolvido do que queria no caso.

Theodore Boone é um garoto de 13 anos, filho de advogados e a sua maior paixão é a advocacia. O Menino cresceu em meio aos tribunais, ao escritórios e aos julgamentos. Apaixonou-se por isso, seu maior sonho é ser um grande juiz, como o Juiz Gantry, um grande amigo.

Theo é um garoto que enfrenta todas as emoções e hábitos da sua idade, mas ele não é igual aos outros, afinal ele é um aprendiz de advogado. É constante pessoas, crianças, jovens e adultos pedirem conselhos a ele, sobre como devem agir diante de tal causa, o que ele faz com maior prazer. Até que ele se depara com Julio, que detém uma informação que pode mudar toda a trajetória do julgamento de Duff.

Theo sabe que se meteu em uma situação que está além de suas capacidades, e pede ajuda ao seu tio Ike, que é um figuraça. E será um grande aliado ao longo da história. O que não se podia imaginar é que Theo teria pela frente mais do que ganhar uma causa.

Theo sabe de tudo, tem uma testemunha sem rosto, está diante de um crime perfeito, mas só tem 13 anos.


Essa é a sinopse, premissa, resumo, seja lá como quiser chamar de um das histórias mais instigantes e desafiantes já escritas para o publico infato-juvenil.

John Grisham em seu primeiro livro para o publico infanto-juvenil, traz o estilo/tema que o consagrou: A advocacia. 

O que logo nos chama atenção é a idade do menino e a sua maturidade. Apesar de Theo ter apenas 13 anos, em determinados momentos você parece estar diante de um advogado formado e com grande experiência. Na minha humilde opinião, ele só ainda não tem um diploma.

“Aprendiz de Advogado” é o primeiro livro de uma série, neste primeiro livro, nos primeiros capítulos o autor nos apresentar seu protagonista, sua família, e seu ambiente, de uma forma muito interessante, utilizando uma linguagem simples, porém não deixando de ser instigante. Neste primeiro momento, nos deparamos muito com termos técnicos da área do direito, que são explicados de uma forma muito dinâmica. Alguns termos não são explicados, parte pelo fato de autor imaginar de que seu leitor já o deva conhecer por serem muito comum nos jornais e TV, outros pelo fato de acabarem sendo compreensíveis pelo contexto. Apenas os termos sobre Golfe, ficam um tanto confusos, para aquele que nada sabem sobre o esporte. Alguns podem considerar esta parte um tanto lenta, mas nada de pânico ou stress, porque é como um suspiro para aquilo que está chegando.



O capitulo 5 dá o ‘ponta pé’ inicial para o julgamento que só terminará de fato no último capitulo. Este julgamento foi bem escrito, é como se tivéssemos verdadeiramente o assistindo. Os argumentos dos advogados de acusação, ora parecem coerentes, em outros se tornam fracos, a partir do discurso da Defesa. E quanto mais o tempo passa, as testemunhas, mas fica claro e confuso em quem confiar? Quem está dizendo a verdade? Existem momentos e isso é um dos grandes méritos do autor de colocar em dúvida se verdadeiramente o Sr. Duff é culpado.

John Grisham.
Assim que uma testemunha sem rosto aparece e só Theo sabe quem é, que as coisas começam a mudar. Logo, você pensa o final desse julgamento será surpreendente: assim que o juiz estiver dando a sentença que inocentará o culpado, a testemunha irá entrar e acabar tudo. Bom, pode até ser... Mas, isso é coisa de novela, na vida real isso não acontece. O que torna o desfecho ainda mais surpreendente e te deixa com uma curiosidade aflorada que parece querer ser desesperadamente saciado com o segundo volume da série.

A história, se analisarmos bem, seria um tanto simples de ser resolvida, mas o autor nos coloca inúmeras situações que deixam a situação tensa, e o que era simples, torna-se muito complicado. Com mais este ponto aumenta a minha certeza de que esta história é muito verossímil, e muito bem construída. Dando ao público uma história que ao mesmo tempo entretém e nos trás conhecimentos interessantes. 

Relatando um pouco sobre a diagramação, a Rocco: Jovens Leitores fez um bom trabalho. Trazendo um menino capa que corresponde perfeitamente ao nosso protagonista e dar um pouco o clima da história. A revisão foi bem feita. E a nota do editor no final do livro é uma curiosidade muito bem vinda, pois precisamos levar em consideração que as constituições dos Estados Unidos e do Brasil possuem grandes diferenças.

John Grisham me cativou logo no primeiro livro que li de sua obra e com certeza pode agradar outros tantos leitores ávidos por histórias instigantes e desafiantes. “Theodore Boone - Aprendiz de Advogado” é um prato cheio para os amantes de mistérios e para os leitores que gostam de um bom desafio.

Por Jônatas Amaral

[TAG] #3 Nacionais na Minha Estante


Olá, Meus Queridos.
Essa Tag me foi indicada pelo Lucas do Blog Claquete Literária. E fico agradecido pela indicação, principalmente pelo fato de se tratar de títulos nacionais que muito amo e admiro.
A Tag visa apresentar livros nacionais que já leu em sua estante, livros nacionais que ainda não leu encontrados na estante, e livros nacionais que você gostaria que figurassem em sua estante para em breve terem a sua leitura apreciada.

Regras: 

- Usar o selo da tag no seu post;
- Linkar quem te indicou;
- Responder às perguntas através de imagens, tentando não repetir as respostas;
- Indicar no mínimo 3 novos blogs para respondê-la e avisá-los: 


Perguntas:


1- Indique três livros de autores nacionais que você tenha lido, gostado e esteja na sua estante.

"O Tempo e o Vento: O Continente 1" de Érico Veríssimo
Confira a Resenha!
"O Vendedor de Sonhos - O Chamado" de Augusto Cury
"Filhos Brilhantes, Alunos Fascinantes" de Augusto Cury

2 - Um ou três livros nacionais que estejam na sua estante, mas que você ainda não leu.

"70 Historinhas" de Carlos Drummond De Andrade
"As Horas Nuas" de Lygia Fagundes Telles

"O Colecionador de Lágrimas" de Augusto Cury

3- Um ou três livros nacionais que você não tenha na sua estante e que gostaria de ter.

"FIM" de Fernanda Torres
"Em Busca do Sentido da Vida" de Augusto Cury
"O Tempo e o Vento: O Continente 2"
de Érico Veríssimo
A Literatura Brasileira com seus clássicos, releituras, novos gêneros devem neste novo século e década ser apreciada como um tesouro a cada dia mais valioso.

E Para esta Tag indico os Blogs: Only The Strong Survive, Leia Garota Leia , Da Imaginação à Escrita.

Espero que tenham gostado, Fiquem a vontade para fazer a tag só não esqueçam de dizer onde viram primeiro, e deixar o link aqui: será muito legal ver as suas escolhas. 
Já leu algum desse livros? Deixe o seu comentário sobre a obra.
Obrigado, 
Até mais!

Por Jônatas Amaral

My French Film Festival - O Cinema Francês para os que amam e ainda vão amá-lo




O Cinema Francês é destaque no mundo inteiro. 
Nos Dois últimos anos, duas produções francesas roubaram a cena e o coração de Hollywood. "O Artista" e "Amor", foram alçados e honrados nas melhores e maiores premiações do mundo inteiro. O Primeiro levou o Oscar de Melhor Filme.
O "My French Film Festival" tem como objetivo ampliar e apresentar ao maior número de pessoas a graça, a beleza, a sofisticação, a arte que é o cinema Francês. O Festival visa além da amostra de produções francesas, o compartilhamento de opiniões de crítico e telespectadores, sim, de mim, de você que está lendo este artigo. 
Em sua quarta edição o festival "retorna com novos filmes, novas linguagens estrangeiras, novas plataformas parceiras e lançamentos nos cinemas de vários territórios."
O Festival começou dia 17 de janeiro e segue até o dia 17 de Fevereiro. Os internautas e cinéfilos vão poder conferir 10 longa metragens e 10 curta-metragens. O Festival conta ainda com 2 filmes belgas na competição e, fora de competição, com um filme antigo e dois filmes francófonos canadenses.

Competição?
Afinal, terão ganhadores.

Como todo bom festival, sim! Os internautas são convidados a votar em seus filmes preferidos, deixar seus comentários no site. 
Serão Conferidos neste festival 7 prêmios (quatro aos longas-metragens e três aos curtas-metragens), são estes:

O Prêmio dos Cineastas
Formado por cineastas estrangeiros e presidido por Jean-Pierre Jeunet.

O Prêmio do Público
Os internautas do mundo inteiro podem votar em seus filmes preferidos na plataforma do festival.

O Prêmio das Redes Sociais
Cem cinéfilos do mundo inteiro influentes no Facebook e no Twitter votarão em seus filmes preferidos.

O Prêmio da Imprensa Internacional
Concedido por 11 jornalistas dos principais jornais estrangeiros.

Os júris de cineastas e da imprensa internacional se reunirão em Paris durante o festival para votar nos filmes vencedores. Os filmes vencedores serão exibidos em aviões da Air France por um período de 6 meses.

Onde assistir:

"Na plataforma myFrenchFilmFestival.com em todos os países; o festival estará também disponível em outras vinte plataformas parceiras, dependendo dos territórios, entre elas iTunes em mais de 80 países.


Todos os filmes selecionados estarão disponíveis nos institutos franceses no exterior através da plataforma IF Cinéma a partir de 17 de janeiro, por meio de projeções nas salas da rede cultural.
Os filmes também serão exibidos em 400 companhias aéreas através do nosso parceiro Skeye, sendo projetadas em aviões, e em mais de 1.500 salas de arte e ensaio no mundo inteiro graças à rede da nossa parceira SpectiCast. A lista de projeções estará disponível no site myFrenchFilmFestival.com"

O Festival estará disponível no mundo inteiro em 13 idiomas: alemão, inglês, árabe, chinês, espanhol, finlandês, francês, italiano, japonês, polonês, português, russo e turco.


O Blog Alma Crítica como bom amante do cinema e agora ainda mais do cinema Francês não poderia ficar de fora desse festival. Convidamos cada um de vocês a também não deixar essa passar. Com toda certeza, não irá se arrepender. Cada filme, cada arte, nos traz algo de novo para pensar, refletir, questionar, confrontar. 
O Blog Alma Crítica tratá comentários, resenhas, dicas, e muito mais ao longo do festival. Fiquem atento à Tag/Selo: #MyFrenchFF. Ao vê-lo já sabe que faremos uma viagem ao mundo do cinema e cultura da França.

Não Perca! Fique Ligado!


E descubra a França por diversos olhares.

Por Jônatas Amaral
Créditos: My French Film Festival

[RESENHA] "A Droga da Obediência" de Pedro Bandeira




As histórias de Pedro Bandeira, com toda a certeza, fez parte e marcou a infância de muitos os que hoje são jovens/adultos. E continuam sendo importante a muitas pequenas, jovens e adultas almas hoje em dia.

As obras de Pedro Bandeira foram apresentadas a mim na sétima série, por um dos poucos professores de português, que conheci, a qual se dedicou a um projeto de leitura no ensino fundamental. Foram três obras e uma delas foi “A droga da obediência” .

Muitos anos depois esta história chegou novamente as minha mãos, a partir de um presente. Eu só não esperava que ao reler a primeira aventura do “Karas” eu pudesse aprender, reaprender e discuti novos temas em uma mesma obra infanto-juvenil.

O livro “A Droga da Obediência” é o primeiro livro de uma série de Pedro Bandeira intitulada “Os Karas”. Este é um grupo de adolescentes formado por Miguel, Calú, Magrí e Crânio que formaram uma organização secreta para investigar o que fosse.

Neste Colégio para jovens da elite de São Paulo, o diretor Cardoso implantou um sistema de ensino diferente. As regras são estabelecidas pelos alunos, ao lado do conselho escolar, assim o colégio torna-se um exemplo e referência de disciplina e qualidade.

Porém, algo de muito estranho está acontecendo. Alunos de várias escolas de São Paulo estão sumindo misteriosamente, e chegou à vez do Colégio Elite.

Com o sumiço de Bronca, Os Karas entram em ação para tentar descobrir o que esta havendo. Com a ajuda bem inocente, inteligente e atrapalhada de um novo integrante do grupo: Chumbinho, Os Karas se metem a enfrentar uma macabra trama, um gangue internacional, que esta sob o comando de um tal Doutor Q.I. Este quer subjulgar a humanidade aos seus desígnios através de uma perigosa droga.

Os Karas terão que enfrentar o mais diabólico dos crimes.

Esta história nos leva a nos enfrentar em alguns pontos e pensarmos um pouco sobre a nossa sociedade.

Diversas vezes o autor nos coloca situações a qual para crianças, jovens e adultos são importantes: Será que esta droga que retira a autonomia, a criatividade e a vida dos jovens é apenas ficção? Será que não somos dependentes de drogas ditas licitas para ser feliz, para dormir, para se ver livre de uma dor? O sistema com suas discussões dispensáveis não é o grande responsável por tudo isso?

Temas tão sérios são abordados em uma trama simples, de leitura rápida, mas muito marcante e chocante em vários momentos.

Os adolescentes são retratados de uma forma muito realista, com suas limitações, desejos e sonhos. O que é brilhante.

A escrita de Bandeira é ágil, tudo tem um porque ali na página. Ao criar sua história, o mesmo coloca elementos que serão bem importantes no final, e digo que para os leitores atentos ao extremo podem chegar a um veredicto sobre o final, antes de ele chegar.

Abaixo se encontra um trecho muito significativo, que resume bem o assunto desta obra e reflete muito o tema deste blog:

“- Eu só entendo que a minha capacidade de criticar tudo o que ouço e vejo e a minha capacidade de contestar tudo o que descubro de errado é que fazem de mim um ser humano” (pag 127)

Um livro para jovens de 9 a 120 anos. Um livro para divertir, refletir, repensar sobre a sociedade.

Por Jônatas Amaral


THE END - O Grande Final da Maratona Literária de Férias



Foram 15 dias.
360 horas.
6 autores
5 Livros.
940 páginas.
Dezenas de personagens memoráveis.
Histórias Marcantes que jamais serão esquecidas.

Essa foi a Maratona Literária de Férias: 15 Dias em cinco mundos.
Promovida pelo blog Caneirismo, ao lado de outros amigos blogueiros, que reuniu mais de 80 leitores.




Falando especificamente daquele vos escreve... Foi uma maratona para mim tranquila. Apesar de ter terminado no último dia (16/01) a noite, o último livro. Conseguir me organizar bem para ler os 5 livros e cumprir a maratona. Fiquei alguns dias sem ler, pelo fato de não ter o tempo de 24hs dedicados exclusivos para leitura, o que é uma realidade. 
Ficar submerso nesses mundos escritos em páginas é um prazer inexplicável, mas viver no mundo fora dessas páginas é outro prazer ainda mais inexplicável. 
Vivi em 6 mundos nesta maratona, o meu mundo real, e o mundo que 6 autores me levaram a conhecer.




5 Mundos em 15 dias:

1- Comecei viajando a Patagônia. Lá acompanhei e aprendi muito com "O Retorno do Jovem Príncipe", um relato de A.G.Roemmers. Que marcou minha vida neste inicio de ano.
Jamais esquecerei desta frase:

"Você não deve se fechar a outras pessoas enquanto estiver procurando um amigo" (A.G.Roemmers)



Confira a Resenha AQUI!
Confira o DIÁRIO!


2- No segundo dia, acompanhei uma história incrível, de uma mulher incrível, por dois dias estive em seu mundo. Conheci um pouco da vida dela, dos seus pensamentos. Viajar para o Outro é uma experiência incrível.
Essa história é de "Cassiane: Uma Vida com muito louvor" De Cassiane e participação de seu marido Jairinho.
Um livro que guardarei para sempre no meu coração.


Confira a RESENHA!
Confira o DIÁRIO! 

3- Quando comecei a ler este livro, me veio a mente o verão, a praia, o clima festivo, a areia, o amor. 
"Querido John" de Nicholas Spaks foi o terceiro mundo que visitei, em um tempo que eu queria muito esta lendo em um praia, tomando banho de mar. Este livro matou minha vontade. Viajei para o litoral da Carolina do Norte, e conheci uma das melhores histórias de amor. John e Savannah me mostrarão muitas coisas. Savannah cativou meu coração. Criei uma amizade eterna com John.
O Verdadeiro amor, isto ele me fizeram entender ainda mais.
Pretendo voltar mais vezes as zonas litoraneas, as montanhas, à Alemanha, ao Iraque, para reencontrar estas emoções e personagens que hoje tem um espaço no meu coração.


Confira a RESENHA!
Confira o DIÁRIO!

4- Seguindo a maratona, viajei para São Paulo. Embarquei em uma aventura ao lado dos Karas, um grupo que se formou no Colégio Elite - SP.
Uma Aventura que assusta, que fascina, que faz pensar, que dá raiva e alegria.
Pedro Bandeira me apresentou esta história quando eu ainda era uma criança, hoje um jovem pude compreender ainda mais a grandeza dessa obra chamada: "A Droga da Obediência"



RESENHA EM BREVE!!


5- E Nos últimos dias da maratona, os mais complicados digno de passagem, embarquei em uma aventura, com muito suspense, pelos tribunais e escritórios de advocacia na cidade de Strattenburg, ao lado de um carinha que sabe de tudo sobre tribunais, leis e tudo mais, porém que só tem 13 anos.
O nome dele é Theodore Boone.

O primeiro livro da série: O Aprendiz de Advogado. É um livro incrível, que verdadeiramente te prende até a última página, é um livro que verdadeiramente me fez viver todas aquelas tensões, resolver passo a passo aquele mistério, e conhecer muito, muito mais sobre diversos assuntos nos corredores daqueles tribunais.
Foi uma ótima escolha para terminar a maratona que tanto me apresentou histórias cativantes e instigantes.



RESENHA EM BREVE!

E assim cheguei ao último capítulo desta maratona. Uma história que nunca vou esquecer.
A primeira maratona, e com certeza não é a última.

Estes 5 livros não são mais os mesmos, hoje eles possuem um pouco de mim, e se quiserem eu empresto, afinal eles precisam ser lidos, relidos, lidos novamente pelo maior número de pessoas possíveis. =D

Obrigado a todos que acompanharam esta minha maratona.
Obrigado pelo a apoio de muitos.
Aos colegas que fiz durante esta empreitada, espero que possamos aumentar nosso nível de amizade.

E estou esperando pela próxima!

THE END!


Por Jônatas Amaral

[ATUALIZADO] Quem Levou o "Framboesa de Ouro" para sua estante? Confira os 'Vencedores' :


O prêmio "Framboesa de Ouro", concedido pela Razzie Awards, de longe não é a premiação mais almejada por qualquer que seja o profissional do cinema, já que, o "troféu" é ofertado aos PIORES do ano.
A Premiação apareceu em 1980 como uma paródia do Oscar, e nos dias atuais segue, geralmente, o cronograma do Oscar. Por vezes, a premiação é no mesmo dia, num dia depois, ou antes.
O Prêmio é uma framboesa de plástico sobre um filme Super 8, que deve custa cerca de US$ 4,00. Os artistas são convidados a receber o prêmio, em uma cerimonia bem ironica, com tons de deboche. Alguns artistas levantam a cabeça, reconhecem que não trabalharam bem, ou não fizeram um boa escolha em determinada produção, e vão receber o prêmio e se divertir. (Eu acho! kkk)
Uma das artistas que decidiram e levaram "a sério" este prêmio; utilizando-o como uma forma de crítica e de aprendizado, foi Halle Berry.
Em 2004 Halle Berry recebeu o Oscar de Melhor Atriz por Monster's Ball, e logo em seguida foi agraciada com o framboesa, e fez neste um discurso emocionado e muito engraçado.

P.S. Desde então, comecei a amar acompanhar a premiação.

Confira o vídeo:
Mesmo em Inglês, ainda dá para se divertir muito.


O "Framboesa de Ouro" é um prêmio importante, ao meu ver, pois com ele a industria do cinema, os próprios atores, diretores, podem ver sua obra sendo um tanto "ridicularizada" e assim começar a pensar um pouco na hora de produzir. Mesmo um filme chulo, débil, pode ser bem feito. 
Pode servir para mostrar que nem sempre se pode arrasar em um papel. Que nem sempre um projeto que promete milhões trará grandes honras.
Um fator que nos leva a crer nisso é: grandes atores, diretores, já foram indicados a este prêmio como: Sandra Bullock, Kevin Costner, Tom Selleck, o Diretor Michael Bay.
É um prêmio divertido e que faz pensar um pouco.



Nos últimos anos que tem figurado muito nesse prêmio é o ator Adam Sandler, que sinceramente, insiste em fazer comédias sem graça, irrisíveis, dispensáveis e além de muito mal feitas. Em 2012 o filme "Cada um tem a gêmea que merece" levou TODOS os prêmios framboesa. 
Em 2013 o último filme da Saga Crepúsculo: "Amanhecer- parte2" se consagrou o pior filme do ano, com 7 prêmios.


                                   

Este ano, Adam Sandler voltou a ser favorito aos principais prêmios do Framboesa de Ouro, e liderou as indicações. Sylvester Sta'Longe' de ser considerado um bom ator este ano, pois foi indicado a pior ator do ano por nada menos que TRÊS personagens. Ele concorre ao lado de um grande ator, mas que esse ano pisou na bola, este é Jhonny Depp, pelo filme "O Cavaleiro Solitário"
Este ano o "Framboesa de Ouro" estará bem musical e com certeza podemos ouvir bastante aquele ditado "Quem canta seus males espanta". Os Cantores Lady Gaga, Chris Brown, Selena Gomez foram indicados a piores atores. Lindsay Lohan volta ao prêmio, mas uma vez se destacando como uma atriz, tipo, "sensacional" (SQN).
Este ano tivemos surpresas: A indicação de Naomi Watts, por Diana. Muitos consideravam que este filme traria uma grande atuação de Watts, o que pode ter ocorrido, mas muito abaixo do esperado, talvez. Neste do jogo do talvez, podemos supor que o roteiro e a direção não ajudou.
O que podemos esperar do Framboesa de Ouro, é uma premiação engraçada, divertida, porém Crítica, se pensarmos bem.

Agora, chegou a hora, vamos conferir os vencedores, ou não, desta premiação

Confira os Vencedores

PIOR FILME: MOVIE 43



 

  

PIOR ATOR

Jaden Smith - Depois da Terra
Adam Sandler - Gente Grande 2
Sylvester Stallone - Ajuste de Contas, Alvo Duplo e Rota de Fuga
Ashton Kutcher - Jobs
Johnny Depp - O Cavaleiro Solitário

PIOR ATRIZ

Tyler Perry - A Madea Christmas
Selena Gomez - Getaway
Lindsay Lohan - Inappropriate Comedy e The Canyons
Naomi Watts - Movie 43 e Diana
Halle Berry - Movie 43 e Chamada de Emergência

PIOR ATRIZ COADJUVANTE
Salma Hayak - Gente Grande 2
Lady Gaga - Machete Mata
Lindsay Lohan - Todo Mundo em Pânico 5
Kim Kardashian - Temptation
Katherine Heigl - O Casamento do Ano

PIOR ATOR COADJUVANTE

Larry the Cable Guy - A Madea Christmas
Will Smith - Depois da Terra
Chris Brown - Battle of the Year
Taylor Lautner - Gente Grande 2
David Spade - Gente Grande 2
Nick Swardson -Gente Grande 2

PIOR REMAKE, CÓPIA OU SEQUÊNCIA

Gente Grande 2
Se Beber, Não Case - Parte II
Todo Mundo em Pânico 5
O Cavaleiro Solitário
Os Smurfs 2

PIOR ROTEIRO

A Madea Christmas
Depois da Terra
Gente Grande 2
Movie 43
O Cavaleiro Solitário

PIOR DIRETOR

M. Night Shyamalan - Depois da Terra
Dennis Dugan - Gente Grande 2
Os 13 diretores de Movie 43- Movie 43
Tyler Perry - Temptation e A Madea Christmas
Gore Verbinski - O Cavaleiro Solitário

PIOR COMBINAÇÃO VISTA EM TELA

Todo o elenco de Gente Grande 2
Todo o elenco de Para Maiores
Lindsay Lohan e Charlie Sheen em Todo Mundo em Pânico 5
Tyler Perry e Larry the Cable Guy ou Tyler Perry e sua peruca e vestido em A Madea Christmas
Jaden Smith e Will Smith no planeta nepotismo em Depois da Terra


O que acharam?
Foi justo ou não?

Em minha humilde opinião? SIM! Até o ano que vem.
E agora aguardo a premiação mais esperado: O Oscar 2014. Confira os Indicados AQUI!

DIA DO ESTUDANTE AMAZON